Higor Almeida abraça aliados e dissidentes do grupo de Bacelar e enterra de vez projeto de renovação

Eleições 2020: Higor Almeida abraça aliados e dissidentes de Magno Bacelar

Em fevereiro de 2019, cogitado como futuro candidato à prefeito de Chapadinha, o bancário e empresário Higor Almeida foi muito criticado ao anunciar que não se aliaria a ninguém da velha política, caso decidisse abraçar o projeto.

"Nem Paulo Neto, nem Isaías, nem qualquer outro. Se for pra eu sair candidato, saio sozinho, apenas com o apoio do povo", declarou (leia aqui).

Muitos viram arrogância em seu posicionamento, outros inexperiência política, porém um número maior de pessoas se agradou da proposta de um governo novo, sem a participação de "velhas raposas", "ratos de prefeitura" e assemelhados.

O discurso, porém, não resistiu à ambição do jovem aspirante a prefeito. Um ano depois, em março de 2020, Higor deu o primeiro tiro no pé ao apresentar como pré-candidato a vice o vereador Marcelo Marinheiro, que até bem pouco tempo era aliado do prefeito de Chapadinha, Magno Bacelar, e inclusive deu parecer favorável à aprovação de suas contas referentes a 2007, reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/MA).

Na ocasião, o eleitorado que clamava por renovação optou por relevar a escolha do vice, afinal de contas uma má escolha, por si só, não era motivo suficiente para abandonar um projeto tão importante. No entanto, Higor continuou abraçando outros nomes da velha política, dissidentes ou ainda ligados a Bacelar como o ex-secretário municipal que recebia gratificações ilegais no contracheque, Eduardo Braga, o qual trabalha atualmente no gabinete do prefeito, segundo o Portal da Transparência de Chapadinha.

Eduardo Braga, aliado de Higor e Bacelar, lotado no gabinete do prefeito

Higor também abraçou Missecley Araújo, vereadora com alta taxa de rejeição por ter aprovado o aumento na taxa de iluminação pública, dentre outros projetos nocivos ao povo; abraçou a velha militância do PT; a professora Noni Braga, antiga aliada de Bacelar e até o vice-prefeito de Chapadinha, Talvane Hortegal, conhecido em todo o estado pelos escândalos de corrupção na prefeitura de Pinheiro (vídeo abaixo).


E o candidato segue abraçando a velha política, inclusive há rumores de que outros vereadores ligados a Bacelar estão prestes a "pular" para seu grupo, como a professora Vera, outra cuja rejeição bate no teto.

Já no âmbito estadual, Higor Almeida abraçou a velha política dos "Leitoas", da região de Timon, velhos conhecidos da justiça, além de deputados e secretários estaduais aliados de Flávio Dino.

Leitoas de Timon: Velhos conhecidos da Justiça

Em suma, a declaração feita pelo jovem em fevereiro de 2019 há muito já se perdeu, ficou apenas no discurso. E o eleitorado que clamava por renovação já percebeu que, caso Higor saísse vitorioso, os cargos na prefeitura seriam ocupados pelas mesmas figurinhas de antes ou até piores, tendo em vista os militantes de extrema-esquerda que também fazem parte de seu grupo e defendem a legalização das drogas, a liberação do aborto e a ideologia de gênero, dentre outras insanidades.
Espalhe por aí e deixe seu comentário