Candidato a Dep. Federal que foi preso na Operação A Ferro e Fogo é chamado de "bandido" pela própria aliada

Candidato a dep. federal, Eduardo Sá é chamado de bandido pela própria aliada

Em mais um áudio-bomba que vem circulando em grupos de WhatsApp, o ex-servidor da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA) e ex-vereador de Chapadinha, Eduardo Sá, é taxado como "bandido" por uma de suas atuais cabos eleitorais. Sá é candidato a deputado federal pelo PHS em coligação com Roberto Rocha (PSDB), candidato ao governo.

Em dezembro de 2014, quando era sub-secretário na SEMA, Eduardo Sá foi preso pela Polícia Federal (PF) acusado de chefiar uma organização criminosa que atuava em todo o Estado, em conluio com servidores do IBAMA e do Incra. A operação que desbaratou a quadrilha foi denominada "A Ferro e Fogo" e foi notícia em toda a imprensa maranhense (reveja [AQUI], [AQUI] e [AQUI]). Segundo o blog apurou, quem ouviu o áudio associou o termo "bandido" à referida operação da PF e à prisão de Eduardo Sá. Na época, ele foi acusado de ser "o maior responsável, articulador e beneficiado" no esquema criminoso, conforme se lê na decisão judicial que deferiu os pedidos de prisão (clique para ampliar):


Atualmente, o caso se encontra sob a alçada da Polícia Federal ou já nas mãos do Ministério Público. Não se pode afirmar ao certo porque, embora a Justiça Federal autorize prisões e outras medidas que acabam virando notícia, enquanto a investigação não é concluída e a denúncia formalmente oferecida, os demais precedimentos correm em sigilo.

Cabo eleitoral nega ter se referido ao candidato

O blog entrou em contato com a dona da voz, a ex-candidata a vereadora, Nágera Pontes. Ela disse que o áudio corresponde a 5% de uma conversa que teve com uma conhecida, sobre seus planos de apoiar alguns candidatos, bem como os motivos. Quanto ao termo "bandido", Nágera afirmou que, durante a conversa, disse não acreditar em políticos honestos e que, na situação em que se encontrava nossa politica, era melhor "votar nos ladrões daqui". Porém ela frisou que disse isso "numa forma geral da bandidagem da politica" e não se referindo a Eduardo Sá. Por esta razão, o trecho vazado seria uma montagem. Segue o referido áudio (no celular, clique em "Ouvir no navegador" para não precisar baixar o app):