Bolsonaro lidera entre mulheres e evangélicos, diz Ibope

Bolsonaro lidera entre mulheres e evangélicos, diz Ibope.

Se outrora as fakenews acusando Jair Bolsonaro de machista, misógino (sentir aversão às mulheres), etc, surtiam algum efeito, hoje resta evidente que o eleitorado feminino vem percebendo a incoerência entre as falsas acusações e a conduta do deputado na Câmara Federal, sempre lutando pela proteção da mulher, principalmente contra crimes sexuais. É o que mostra a última pesquisa Ibope, divulgada nesta terça-feira (11).

Criticados por "errarem" muitos resultados de eleições, Ibope, Data Folha e outros institutos "famosos" costumam acertar mais quanto a outros dados colhidos nas pesquisas, até porque não servem para manipular a opinião do eleitorado, cuja maioria só têm olhos para o ranking geral das intenções de votos.

Entre o eleitorado feminino, por exemplo, o Ibope apurou que o candidato do PSL à Presidência da República isolou-se na primeira colocação com 18% das intenções, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB) com 11%, Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) com 10% cada, e Fernando Haddad (PT) com 8%.

Jair Bolsonaro cercado de eleitoras em Porto Alegre
Jair Bolsonaro cercado de eleitoras em Porto Alegre

Já entre os eleitores que se declaram evangélicos, para os quais as fakenews contra Bolsonaro surtem menos efeito, uma vez que o deputado é reconhecido por defender os valores cristãos, ele possui nada menos que 33% das intenções de votos. Marina Silva e Alckmin têm 10%, Ciro tem 7% e Haddad 6%.

Bolsonaro e Magno Malta na Marcha para Jesus, em Maio
Bolsonaro e Magno Malta na Marcha para Jesus, em Maio