Escritório de DH da ONU desmente fakenews do PT sobre 'decisão que ordenava que Lula fosse candidato'

Escritório de DH da ONU desmente fakenews do PT

Em sua página oficial, o Escritório de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou - de forma correta - a recomendação emitida pelo Comitê de Direitos Humanos sobre o caso do ex-presidente Lula, preso na sede da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 07 de abril, por corrupção e lavagem de dinheiro.

A nota começa afirmando que o comitê "pediu" e "solicitou" ao Brasil que não impedisse Lula de participar das eleições enquanto não fosse julgado em última instância, versão bem diferente da alardeada pelas fakenews petistas, nas quais a ONU teria "exigido" ou "determinado" ao Brasil que aceitasse um preso condenado como candidato.

Em seguida, esclarece que o pedido não significa que tenha havido qualquer violação aos direitos de Lula. Trata-se apenas uma garantia, uma forma do ex-presidente não ser "penalizado" enquanto puder recorrer da sentença. Trocando em miúdos, é só o pessoal dos Direitos Humanos fazendo o que sempre faz: defendendo criminosos a qualquer custo.

Por fim, a nota explica que quem tomou tal decisão foi o Comitê de Direitos Humanos da ONU, formado por especialistas independentes, e não "A" ONU, por meio de seu órgão deliberativo, formado por representantes dos países-membros.

Lembrando que, ainda que o pedido tivesse partido dos países-membros, nem assim o Brasil seria obrigado a atender, dada a sua soberania. Então que relevância teria um pedido feito por reles "especialistas independentes"? Absolutamente nenhuma. Fim da balela.

Para ler a nota na página oficial do Escritório de Direitos Humanos da ONU, [clique aqui.]