Menos de seis meses após inauguração, 'escola digna' de Flávio Dino desaba em Chapadinha

'Escola digna' de Flavio Dino desaba na zona rural de Chapadinha

"Um marco para a educação de milhares de estudantes da rede pública estadual" - assim o Governo do Estado do Maranhão classificou a reinauguração de uma escola na zona rural do município de Chapadinha, em agosto do ano passado (leia aqui).

Alçado ao posto de "escola digna" pelo governo Dino, o Anexo II do Centro de Ensino Dr. Paulo Ramos, situado à margem da BR-222, no povoado Centro dos Buracos, teria sido "totalmente revitalizado", dizia a matéria governista. Na cerimônia de reinauguração não faltou politicagem enaltecendo os nomes do governador, do prefeito e até do deputado Levi Pontes, aquele do escândalo do peixe eleitoreiro que, por sinal, voltou a ser manchete esta semana, em mais um escândalo evolvendo o uso eleitoral de recursos públicos.

Politicagem na reinauguração de escola em Chapadinha

Porém, menos de seis meses após a inauguração, parte do prédio da "escola modelo" veio abaixo. Moradores locais contam que o desabamento ocorreu no início de fevereiro. As primeiras imagens a seguir foram registradas no dia 13, terça-feira de carnaval. A última, nesta quinta-feira, 1º de março.

Escola 'modelo' de Flávio Dino sendo reformada após desabamento

Reforma em 'escola digna' de Flávio Dino, após desabamento

Reforma em 'escola modelo' de Flávio Dino, após desabamento


Ainda segundo os moradores, após o desabamento, as aulas passaram a ser ministradas na capela que fica atrás do anexo, com alunos de séries diferentes amontoados no mesmo recinto, sem um mínimo de conforto. Todavia, na última sexta-feira (23), o ensino teria sido suspenso até que o governo "revitalize" o prédio da escola novamente.

Após desabamento da 'escola digna', aulas estão sendo ministradas em capela

O mais interessante é que a imprensa dinista não deu um pio sobre o ocorrido, nem mesmo para dar uma satisfação à comunidade, e até as imagens da referida inauguração estão desaparecendo da internet. Pelo visto não foi à toa que Flávio Dino cortou R$ 9,3 milhões da Educação no ano passado e destinou quase a mesma quantia, R$ 9 milhões, para gastos com propaganda. Esta, sim, parece ser a prioridade do governador. O resto é resto.

Editado em 02/03, às 22:00h - Segundo informou a filha de uma professora que leciona no local, as aulas não teriam sido suspensas na última sexta-feira, mas encerradas "de acordo com o calendário escolar previsto pela direção". Ela disse ainda que o anexo é uma conquista da comunidade, que há muito lutava por sua instalação.