06/03/2018

Servidores de Chapadinha saem às ruas e dão nove dias para prefeito cumprir leis de reajuste salarial

Prefeito de Chapadinha não paga reajustes e servidores saem às ruas em protesto

Como se já não bastassem os desmandos da atual gestão para com os serviços públicos de Chapadinha, agora o prefeito Magno Bacelar não quer nem mesmo pagar o salário integral do funcionalismo, com os devidos reajustes garantidos por lei.

Em razão disto, os servidores, em sua maioria professores que não receberam o aumento de 6,81% a que têm direito , fizeram uma paralisação nesta segunda-feira, 05, data marcada para o início do ano letivo nas escolas municipais.

Conforme deliberado em assembleia, às 07 da manhã eles se reuniram no sindicato da categoria (SINDCHAP) e de lá saíram às ruas em protesto até a sede da prefeitura, onde exigiram um posicionamento do gestor acerca do problema ou continuariam com as manifestações. O movimento contou com a participação de vereadores independentes e recebeu o apoio da população em geral.

Servidores de Chapadinha reunidos na sede do sindicato

Servidores de Chapadinha nas ruas reivindicando seus direitos

Servidores de Chapadinha em protesto por reajustes garantidos por lei

Servidores de Chapadinha na sede da prefeitura, reivindicando seus direitos

Acuado, Magno Bacelar recebeu uma comissão representando os manifestantes e solicitou um prazo de nove dias (até quarta-feira, 14) para que sua equipe estude o caso e apresente uma solução. Em contrapartida, os servidores aceitaram e se comprometeram em retornar ao trabalho durante o referido prazo, mesmo sabendo que o prefeito não concedeu os reajustes porque não quis.

Graças a sites como o Demonstrativo do Banco do Brasil, às redes sociais e ao WhatsApp, os servidores estão a par do quanto a prefeitura de Chapadinha recebeu de Fundeb apenas no mês de fevereiro - mais de R$ 11 milhões - e o quanto foi gasto com a folha de pagamento da Educação - menos de R$ 4 milhões. Logo, a comissão aceitou o prazo solicitado pelo prefeito apenas para que ninguém diga depois que os servidores não tentaram, mais uma vez, resolver o caso de forma amigável.

Demonstrativo do BB mostra que Chapadinha recebeu dinheiro mais que suficiente para pagar reajustes

Caso Magno Bacelar não cumpra com sua palavra, a paralisação retornará por tempo indeterminado e, segundo comenta-se nos bastidores, não será suspensa novamente por conta de simples promessas ou pedidos de prazo. É aguardar para ver.

logoblog
Comentários
0 Comentários
0 comentários:
Postar um comentário

OBS: Comentários com termos chulos ou ofensas à honra alheia serão deletados.