29/12/2017

Após pressão popular, prefeito de Chapadinha adia aumento de 100% na taxa de iluminação pública

Prefeito e Chapadinha e vereadores aliados tentam aumentar impostos
Prefeito Magno e Vera, presidente da Câmara

Não se fala em outra coisa em Chapadinha: após deixar a cidade quase toda às escuras, o prefeito Magno Bacelar alegou "falta de recursos" e enviou projeto de lei à Câmara Municipal para aumentar a contribuição sobre a iluminação pública (CIP) em 100%. Segundo a nova planilha do executivo (abaixo), quem pagava R$ 22,65, por exemplo, pagará R$ 45,33. Tudo dobrado!


Ao que tudo indica, tal manobra visa apenas arrancar mais dinheiro da população, haja vista que Bacelar foi eleito mediante erro ou fraude no Tribunal de Contas da União (TCU) e, mais recentemente, sua companheira Danúbia Carneiro também se tornou inelegível, tendo o casal ficado sem perspectivas eleitorais até o ano de 2025, no mínimo. Eis uma possível explicação para o erário do município estar desaparecendo, os serviços públicos estarem funcionando precariamente, servidores municipais estarem com meses de salários atrasados...

Mas o prefeito não está sozinho neste plano. Vereadores da base governista estão lhe dando amplo apoio e serão os responsáveis pela aprovação do aumento na CIP, cuja votação estava marcada para ocorrer neste sábado, 30, em sessão extraordinária. Digo "estava" porque, graças aos vereadores de oposição e às redes sociais, a cidade inteira ficou sabendo da manobra e o povo já se preparava para acompanhar a votação na Câmara, com o objetivo de "marcar a cara" dos vereadores que tivessem a desfaçatez de votar a favor do aumento. Em razão disso, Bacelar e sua trupe desistiram de levar o plano adiante, pelo menos por enquanto. Mas o projeto continua na Câmara.

Prefeito de Chapadinha e aliados adiam aumento da CIP

Vale ressaltar que a vereadora Vera, presidente da casa, teve papel relevantíssimo na manobra. Foi ela quem segurou a votação da LOA (Lei Orçamentária Anual) e do PPA (Plano Plurianual), atrasando o recesso parlamentar para que o projeto de interesse do prefeito fosse votado enquanto o povo estivesse ocupado com os preparativos para o réveillon. Tal ardil é muito usado nos parlamentos brasileiros para empurrar projetos maléficos à população, principalmente aumento de impostos.

Por fim, mesmo após Bacelar ter publicado no Facebook que "pediu" a retirada do projeto de pauta, a população segue desconfiada e continua se organizando para acompanhar a sessão deste sábado. Ou seja, o pouco de credibilidade que ele ainda poderia ter, pelo visto, já não existe mais.

logoblog
Comentários
0 Comentários
0 comentários:
Postar um comentário

OBS: Comentários com termos chulos e/ou ofensas à honra alheia serão deletados.