27 de jun de 2014

Chapadinha: Deseperado ante a perda do cargo, vereador distribui calúnias e mentiras na câmara

Vereador Eduardo Sá distribui calúnias e mentiras na câmara

E a zorra continua na Câmara de Municipal de Chapadinha!

Graças a uma ajudinha do presidente (veja aqui), o vereador Eduardo Sá - que se licenciou para assumir outro cargo (ilegalmente) no Governo do Estado - retornou à câmara para posar vítima enquanto não se despede de vez. Embora tenha mandado anunciar em blogs e rádios de aluguel que faria um discurso "bombástico", ele na verdade se mostrou desesperado ante a iminente perda do mandato - afinal é consenso nos meios jurídico e político que não há como escapar da corda que ele mesmo pôs no pescoço.

Tudo estava preparado, até mesmo a presidente do SINDCHAP estava presente para apoiar o vereador, haja vista que a atual diretoria da entidade não faz questão de esconder sua índole partidária e sua aliança com a oposição. Porém quem estava esperando um discurso "histórico" testemunhou um fiasco: Eduardo Sá nada esclareceu acerca do processo de extinção do seu mandato, como havia anunciado, tampouco fez alguma revelação bombástica. Em vez disso, se disse "perseguido" e partiu para cima da vereadora Lívia Saraiva com calúnias e denúncias envolvendo familiares da mesma, como se ela fosse responsável pelos atos de seus parentes. Convenientemente, o presidente Nonato Baleco "cortou" o microfone da vereadora para que ela não pudesse pedir aparte e, assim, seu aliado pudesse caluniar e mentir sem interrupções.

E o vereador não mediu esforços! Em dado momento ele teve o descaramento de dizer que fez questão de "abrir mão" do salário de vereador enquanto exercia o outro cargo no Governo do Estado... Ora, senhores, mas nem que ele quisesse! Tanto a Lei Orgânica do Município quanto o Regimento Interno da Câmara proíbem que vereadores recebam salário enquanto licenciados para "tratar de assuntos particulares" (caso dele). Sá disse ainda que "enquanto continuasse exercendo cargo no Estado iria participar das sessões, mas sem receber salário" - e com isso apertou ainda mais a corda em seu pescoço, pois se a lei já proíbe que um vereador se licencie para assumir o referido cargo, imaginem então exercer os dois ao mesmo tempo!

O discurso foi tão frívolo que o próprio autor titubeava ao proferi-lo: Eduardo Sá gaguejava, sua voz estava embargada, a ponto de parecer que ele estava sob efeito de algum entorpecente. Nada mais natural se estivesse, afinal não é todo dia que um vereador participa de uma sessão sem saber se será sua última, e um "calmantezinho" sempre ajuda...

Ainda não sabem? A suplente de Sá, Graça Nunes, já procurou a Justiça requerendo sua vaga, vez que o vereador deu causa à extinção de seu mandato ao assumir outro cargo ilegalmente. E o processo já se encontra nas mãos do juiz, Dr. Cristiano Simas, para decisão - eis o motivo do desespero de Eduardo Sá!

E vem mais "bomba" por aí! Antes de descontar sua frustração em Lívia Saraiva, o vereador deveria ter se lembrado do velho ditado: "quem tem rabo de palha não passa perto de fogo!!!" Segundo informações, não foi à toa que Lívia deixou sua resposta para a próxima sessão...

Eduardo Sá terá coragem de comparecer na próxima sessão (segunda-feira, 30) para ouvir a réplica de Lívia Saraiva? Ou será que pedirá a Baleco que ele boicote mais uma sessão, como fez no último dia 16? Até lá ele ainda será vereador?

Aguardem os próximos capítulos...

Comentários
0 Comentários

0 comentários: