Respondendo a enquete no Facebook sobre a proposta do vereador Samuel Nistron - devolver ao executivo a sobra de recursos na câmara para ser aplicada em obras para o povo (poços e chafarizes) - o vereador Eduardo Braga respondeu que o valor em caixa não se trata de sobra, não são R$ 300 mil e o dinheiro não "será desviados das suas funções constitucionais para ser repartido por quem quer que seja" (sic). Segundo ele, não é por causa dos recursos destinados à câmara que o governo deixa de fazer uma administração decente. Confiram:

Chapadinha (MA): Câmara não vai disponibilizar sobra de recursos

Como a afirmação partiu do vice-presidente da casa e "braço direito" do presidente, tudo indica que a presidência já se decidiu e não irá disponibilizar o dinheiro que tem em caixa para ajudar a população.

Obs: Notem que, por duas vezes, Braga se referiu à Constituição para justificar que o dinheiro é da câmara e, portanto, não estaria à disposição. Todavia, quando era secretário municipal, o vereador recebia gratificações ilegais (contracheque abaixo) proibidas pela mesma Constituição que hoje ele tanto gosta de mencionar... Vai entender!


Clique para ampliar
logoblog
Comentários
0 Comentários

0 comentários: