05/08/2013

Jovem agredido por Eduardo Sá refuta nota do vereador e revela mais detalhes sobre o caso

Chapadinha (MA): Jovem agredido por Eduardo Sá refuta nota do vereador

No mesmo dia em que nosso blog tornou pública a denúncia do jovem Pedro Fonseca de Sousa contra o vereador Eduardo Sá (veja aqui), este último divulgou uma nota rebatendo a versão de Pedro e se dizendo vítima do mesmo. O jovem entrou em contato com o blog, refutou a tal nota e revelou outros detalhes bem interessantes.

Antes, cabe ressaltar outro detalhe: na referida nota, Sá atribuiu a denúncia a "governistas". E a mesma lorota está sendo alardeada pela oposição inteira. Aliás, quem conhece a política local sabe que essa é a "defesa típica" dessa oposição, quando acuada. Já era assim antes, quando essa oposição era governo e atribuía qualquer denúncia contra o mesmo a "partidários" de Belezinha, de Isaías, ou dos dois. É assim hoje, toda vez que alguém "ousa" tornar público qualquer fato que exponha a real "conduta" dessa oposição, totalmente contrária aos seus discursos. E, como já era de se esperar, foi assim que agiram em relação à denúncia do jovem agredido em praça pública. A tal lorota já foi, inclusive, utilizada numa representação eleitoral movida por Magno Bacelar contra este blog e - também! - contra a então candidata a prefeita, Ducilene Belezinha, sendo que ela foi "excluída" da ação pelo juiz eleitoral, Dr. Cristiano Simas, em razão de não ter nenhuma ligação com esta página. A representação já foi até arquivada, aguardem texto sobre isso em breve...

Voltando ao caso da agressão, o vereador Eduardo Sá divulgou nota relatando que ele é quem teria sido a vítima, vez que Pedro o teria abordado quando ele se dirigia da Câmara ao Abrigo Central e, depois, "partido para cima dele" de modo agressivo. Contudo, o vereador não teria sequer precisado "se defender", graças à chegada do colega Eduardo Braga, que teria "contido os ânimos". Confiram um trecho:

Chapadinha (MA): Jovem agredido por Eduardo Sá refuta nota do vereador

Por telefone, Pedro reiterou que, conforme divulgado anteriormente, ele e um amigo estavam sentados em um banco em frente à Mirante e, para ir da Câmara ao Abrigo, o vereador sequer precisaria passar pelo local onde estavam. Várias pessoas teriam visto Sá interpelando o jovem que, pego de surpresa, teria inclusive ficado sem ação... Ao final do episódio, o vereador teria retornado, em direção à Câmara, então como ele poderia ter sido abordado enquanto se dirigia ao Abrigo? Pedro lembrou ainda que, antes de divulgar a tal nota, Sá divulgou um texto na rede social Facebook intitulado "Quem diz o que quer, ouve o que não quer!", de autoria de uma blogueira da oposição, o qual tenta justificar sua atitude como tendo sido uma "consequência" de ataques pessoais que vinha sofrendo há sete meses, por parte de várias pessoas (abaixo, a publicação de Sá no Facebook, e um pequeno trecho).

Chapadinha (MA): Jovem agredido por Eduardo Sá refuta nota do vereador


"Se o vereador foi uma vítima que não precisou sequer 'revidar', como declarou em sua nota, porque então teria divulgado esse texto tentando justificar sua agressividade?", apontou Pedro. E nosso blog vai além: teria o representante do legislativo, do povo, alguém que deveria primar pela lisura na vida pública e privada, tentado fazer justiça "com as próprias mãos", contra um jovem de 22 anos e em plena praça pública? Segundo o relato de testemunhas, sim.

Por fim, Pedro relatou outro detalhe: a vereadora Francisca Aguiar teria presenciado parte do episódio e, após seu término, se dirigiu até onde os jovens estavam, se mostrando abismada diante do desequilíbrio do colega. Após saber o que teria motivado tal atitude - um comentário postado no Facebook meses atrás - a vereadora teria se mostrado ainda mais horrorizada.

A audiência na Delegacia de Polícia, entre Eduardo Sá e Pedro, deverá ocorrer ainda nessa semana. Aguardem mais informações em breve...


(Editado em 05/08,às 23h53, para correções e adequação cronológica dos fatos)
Comentários
0 Comentários