Chapadinha-MA: Vexame na Câmara

Estava tudo armado para mais um espetáculo na casa do povo. Sim, a reunião ocorreu na Câmara Municipal, na última terça-feira (07). Como convidados, os educadores de Chapadinha. O objetivo: convencê-los a retornar para casa após o cumprimento de 2/3 da carga horária em sala de aula (e nossos alunos, como ficariam nessa história?). O argumento: a suposta falta de estrutura para que os professores desenvolvam atividades extraclasse no tempo restante. Os articuladores: as professoras Jane Andrade (candidata a vereadora derrotada), Enir Lima (ex-secretária de educação) e Francilene Melo (ex-coordenadora pedagógica multifuncional); bem como os vereadores Eduardo Braga (aquele que recebia dinheiro do povo ilegalmente quando era secretário), Eduardo Sá (o mesmo que criou um bloco carnavalesco para promover Magno Bacelar) e Balequinho (atual presidente da casa, graças à família Meneses).

O resultado, porém, nem de longe foi o esperado pelos cabeças... Cientes de que havia outros interesses por trás da reunião, os convidados deixaram as palestrantes em saia mais que justa:

Enir Lima foi logo posta contra a parede pelos educadores: Se estava lutando por um direito da categoria, como afirmava tão veementemente, por que então ela não implantou a redução das horas/aula quando foi secretária de educação? – perguntaram os convidados, deixando claro que se ela tivesse cumprido seu dever tal situação há muito já estaria resolvida. E foram além: se ela reclamava da falta de estrutura nas escolas, motivo pelo qual os professores deveriam retornar para casa, aonde teria ido parar o dinheiro que o município recebeu para as devidas reformas, na gestão passada? Em resposta, a ex-secretária disse apenas que, na época, fazia parte do governo, agora não faz mais. Antes não podia falar, agora deve.

Essa mesma desculpa absurda - de que possuir um cargo de confiança num governo legitimaria a autocegueira e o descaso para com os próprios colegas - foi usada, também, pela professora Francilene Melo num programa de rádio dominical, para tentar justificar seu silêncio nos últimos anos.

Voltando à reunião, os educadores também não "alisaram" a profª. Jane Andrade... Ao usar da palavra, ela foi agraciada com uma baita vaia dos convidados, prova inequívoca de que eles não estão gostando nada de estarem sendo usados na "guerrinha pessoal" que a professora vem travando com a atual prefeita.

Por sua vez, Francilene Melo foi brindada com nada mais, na menos que... desprezo! Ao pegar no microfone, a quase totalidade dos presentes se levantou e se retirou da Câmara, deixando a ex-coordenadora a falar para uma galeria quase vazia.

E dessa forma os próprios convidados "encerraram oficialmente" a reunião. E, com ela, mais uma tentativa espúria de usar a categoria em manobras políticas. Vale ressaltar que, embora o ocorrido ainda hoje ressoe pelos corredores de escolas e demais repartições públicas, não se ouviu uma só palavra dos "cabeças" sobre o vexame.

Nosso blog parabeniza os educadores pelo posicionamento diante da manobra oposicionista. Lutar pelos direitos sempre! Deixar-se usar, jamais!


logoblog
Comentários
0 Comentários