Chapadinha-MA: Reivindicação Professores

Professores de todo o país estão se unindo pela imediata aplicação da Lei 11.738, no que tange ao 1/3 da jornada de trabalho, a ser destinada a atividades extra-classe. Porém alguns educadores ainda não entenderam essa determinação da lei e insistem em dizer que este 1/3 se trata de uma "redução de carga horária", quando na verdade não é.

Em Chapadinha não é diferente. Muitos professores, inclusive alguns da diretoria do SINDCHAP (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais), se embananam na hora de reivindicar um direito legítimo e acabam por confundir os colegas. Resultado: há professores pensando que poderão retornar para casa após o cumprimento dos 2/3 da jornada de trabalho em sala de aula.

Recentemente, em conversa com o promotor Douglas Nojosa, representantes da classe foram orientados quanto a essa confusão. Nojosa destacou que o 1/3 restante deve ser cumprido em atividades extra-classe "nas dependências da escola", ou seja, nesse caso, não há que se falar em redução, mas em "adequação" da carga horária.

Nosso blog apoia a causa dos professores e faz esse alerta apenas para que não percam seu direito, pois, a não ser que realizem um movimento grevista legítimo, se deixarem de cumprir a carga horária total (2/3 em sala de aula + 1/3 em outra atividade, nas dependências da escola) podem vir a ser penalizados.

Nosso blog também lamenta que a causa esteja sendo usada por alguns vereadores pilantras, ajudados por representantes da classe ainda piores, cujo único objetivo é fazer zoada para que Belezinha lhes ofereçam um belo "cala-boca", a exemplo do que fez Danúbia Carneiro com a diretoria anterior do SINDCHAP.

Na época, os servidores foram usados e abusados para que apenas três ou quatro se dessem bem, e muito bem... (Quem não lembra?) Esperamos que, desta vez, os professores abram os olhos e não cometam o mesmo erro.


logoblog
Comentários
0 Comentários