17/01/2013

Será que, desta vez, os 'patifes', miquinhos' e 'tolos' de Chapadinha se tocam?

Chapadinha-MA: Café Pequeno (Ivandro Coêlho)

Após o retorno à blogosfera, já em seu primeiro artigo, o jornalista e professor Ivandro Coêlho exarou sua indignação com aqueles que descreveu como "patifes travestidos de intelectuais" que "arrancam suas gorjetas do poder público à custa da maquiagem dos fatos".

Como de praxe tais patifes se fizeram de cegos/desentendidos, pois foi só Ivandro publicar novo artigo (sua opinião sobre os conchavos durante a eleição para a presidência da Câmara) e eles abusaram do "Ctrl C, Ctrl V", plagiando ou repostando o texto aos quatro cantos do Facebook, tudo porque o autor questionara a conduta da Família Meneses no episódio. Como esperado, o primogênito da família respondeu ao jornalista, pelo que a réplica recebeu o mesmo tratamento e o ringue foi armado!

Ivandro publicou tréplica onde, independentemente do mérito da contenda, menciona a "claque dos miquinhos amestrados da net". Resultado? Os pobres miquinhos não entenderam patavina e continuaram a agir como tal, chegando inclusive a incitar o primogênito a responder a tréplica, sob pretexto de um eterno e recíproco "direito" de resposta.

Eis que o jornalista resolveu descer o verbo nas organizadas: Classificou como "coiotes" os que passaram 12 anos defendendo a política pão-e-circo do governo anterior, empurrando o caos nos serviços públicos para baixo do tapete, e agora cobram "melhorias imediatas". Chamou de "tolinhos" os aliados do atual governo que, ingenuamente (ou não?), embarcam na onda dos primeiros. Frisou que "até as pedras sabem" que todo novo governo tem de, inicialmente, fazer um diagnóstico da situação antes de implantar qualquer medida - exceto as emergenciais - e salientou que o ex-prefeito Isaías virou "o álibi perfeito para justificar a inércia administrativa e a corrupção" do governo Magnúbia.

E a provável resposta à pergunta do título é "NÃO": os patifes, miquinhos e tolinhos não irão se tocar! Alguns por sede de acessos, outros por pura bajulação - epidemia crescente na cidade. Muitos verão incoerência entre os primeiros textos de Ivandro e esse último, dada a paixão cega por A ou B da qual padecem, já moribundos. Poucos entenderão, porém a saudade do (gordo) contracheque há de superar o amor-próprio.


Comentários
0 Comentários