25 de jul de 2012

Duplicação da BR-135 pode ser (novamente) adiada


Representantes do Ministério dos Transportes e do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) fizeram uma verdadeira proposta indecente, nesta terça-feira (24), a membros do governo e das bancadas estadual e federal em reunião nas sede maranhense do DNIT: querem adiar a duplicação da BR-135, trecho entre o Estreito dos Mosquitos e a cidade de Bacabeira, em, pelo menos, mais um ano.

A ideia seria duplicar a estrada pelo lado da adutora do Italuís – atualmente, o projeto prevê duplicação sobre a linha férrea da Vale.

"O orçamento atual está muito alto e as modificações, embora atrasem a execução dos serviços, trarão uma economia de aproximadamente R$ 140 milhões, a serem utilizados para a duplicação do trecho seguinte, entre Bacabeira e Miranda", alegou o diretor executivo do órgão, Tarcísio Freitas.

Os representantes do Governo do Estado "pularam lá fora" e o clima ficou tenso. O Secretário de Estado de Infraestrutura, Max Barros, disse que o estado não aceita negociar nenhuma alternativa que não seja a abertura imediata dos envelopes com a proposta vencedora do certame, para que a obra comece, pelo menos, até o fim do ano – a promessa do Ministério dos Trasportes era iniciar em junho deste ano.

"Nós nos negamos a discutir alternativas a esse projeto, feito pelo próprio DNIT, assim como o orçamento. Essa proposta é um desrespeito ao Maranhão. O Governo do Estado é parceiro do Governo Federal, mas não aceita qualquer coisa que não seja a abertura imediata dos envelopes e o início imediato da obra, conforme foi prometido pelo Governo Federal", disparou.

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, também reagiu. Segundo ele, o Ministério dos Transportes tem trabalhado com prazos irreais quando estima o tempo necessário para a remoção da adutora.

Já o secretário de Meio Ambiente, Victor Mendes, alertou que, só para a elaboração de um novo Estudo de Impacto Ambiental que atenda às modificações no projeto, seriam necessários mais seis meses. "Isso atrasaria, e muito, o início da obra", destacou.

Os representantes do Ministério dos Trasportes e do DNIT não deram nenhuma posição final sobre o caso, mas a impressão que ficou é a de que o Governo Federal está decidido a mudar o projeto. E, assim, a duplicação da BR-135 vai ficando para depois.


Comentários
0 Comentários

0 comentários: