06/06/2012

Gratificações ilegais em Chapadinha: Primeiro negaram, agora tentam justificar em vão


Ao denunciar a farra das gratificações ilegais em Chapadinha, comprovando-as com cópias de contracheques que ferem, inclusive, a Constituição Federal Brasileira (leia aqui), fiquei a pensar qual seria, desta vez, a desculpa (esfarrapada) do governo...

Primeiramente, imaginei que fossem questionar a autenticidade das cópias e continuar negando o fato, tal qual fizeram no Facebook, onde chegaram, até mesmo, a desafiar-me. Confiram:




Mas não, tal negativa seria catastrófica para o governo, caso o Ministério Público acordasse e conseguisse, no judiciário, a quebra do sigilo bancário dos envolvidos... Então, me sobreveio uma segunda hipótese: tentaria a prefeitura demonstrar legalidade em sua conduta ilegal? Pois foi o que ela fez.

Por meio de nota oficial, o governo reputou "distorcidas" as informações prestadas por nosso blog, alegando que tais gratificações seriam garantidas pela lei municipal que as instituiu, em 2009. Como era de se esperar, não foi detalhado o dispositivo que permitiria ao ex-secretário Eduardo Braga recebê-la - ao arrepio da Constituição -, nem os valores fixados, sua base de cálculos, ou algo que assegurasse o montante recebido pelo outro defensor da corrupção.

Na prática, o governo "Magnúbia" tentou justificar uma ilegalidade com outra ilegalidade, uma vez que tal lei - ou, pelo menos, parte dela - seria inconstitucional. Este autor está averiguando o caso e garante aos senhores que vem mais bomba por aí. Aguardem...

PS - No mesmo artigo, denunciamos também a perseguição deflagrada contra aqueles que não apoiam o governo. Mas, quanto a isso, a prefeitura não se pronunciou - e nem poderia, vez que Chapadinha inteira já conhece o 'modus operandi' da dupla Bacelar & Carneiro...

Comentários
6 Comentários