Passeata pedindo justiça, terça-feira, 1º de maio

Um homem que trabalhava como segurança no show do grupo de pagode Revelação, realizado na última segunda-feira (30), na casa de espetáculos Patrimônio Show, na Praia Grande, foi preso em pleno serviço sob suspeita de envolvimento no assassinato do jornalista Décio Sá. A prisão foi efetuada por policiais civis do Maranhão e do Piauí.

Segundo testemunhas, os policiais chegaram no evento por volta das 22h00, em várias viaturas, e abordaram todos os seguranças da festa, ordenando-lhes que encostassem na parede. Durante a revista, identificaram o suspeito que procuravam e imediatamente o colocaram em um dos veículos usados na operação. O homem estava de terno e usava um boné, mas não teve a identidade revelada. Ele negou qualquer participação no crime.

Um policial que também fazia a segurança do show e portava um revólver foi revistado e reclamou da truculência da equipe envolvida na operação. Ele teve que entregar a arma ao dono da empresa de segurança contratada para o evento, o ex-lutador de vale-tudo Casemiro do Nascimento Martins, o Zulu.

Décio Sá foi assassinado com cinco tiros de pistola .40 na noite de 23 de abril, no bar Estrela do Mar, na Avenida Litorânea. Após prender dois suspeitos de participação no crime, a Secretaria de Segurança Pública decretou sigilo nas investigações.

Segundo duas testemunhas oculares e uma evangélica que participava de um culto na duna escalada pelo matador do jornalista, pelo menos três pessoas ajudaram a dar fuga ao assassino.

Fonte: O Estado do MA

logoblog
Comentários
0 Comentários

0 comentários: