Na última quinta-feira (03/05) os alunos da colégio Dr. Otávio Vieira Passos - ou Bandeirante, como é conhecido - realizaram uma manifestação pacífica com o objetivo de chamar a atenção das autoridades competentes para a falta de professores, carteiras, ventiladores, lanche, água gelada, e outros direitos que lhes assistem.


Em momento algum, os estudantes falaram sobre política, citaram candidatos ou reclamaram da atual administração. Eles apenas exigiram seus direitos - e respeito por parte do Estado.

Todavia, a "identidade" do movimento foi posta em dúvida por governi$tas locais, aqueles que, em sua maioria, são pagos para defender a dupla que comanda a prefeitura de Chapadinha.

Explico: Após o movimento, um dos blogs da prefeitura postou matéria sobre o ocorrido, mas o verdadeiro objetivo da "notícia", ficou claro em seu subtítulo: Gestor da URE diz que podem estar usando alunos com objetivos políticos.

Após expor motivos e fotos do protesto, e a "explicação" dos supostos responsáveis, a pseudo notícia tratou de seu objetivo real, começando pelo comentário do gestor da URE, Janio Ayres, dizendo que os estudantes agiram de "maneira errada". "Deveriam elaborar algum documento formal, pelos representantes de turmas, ou fazer algum abaixo-assinado e encaminhar para a URE e para o MP [Ministério Público]. Essa seria a maneira correta".

E, em seguida, tentaram minimizar o movimento estudantil, levantando dúvidas quanto a outros interesses por trás dele. Confiram o trecho:

Janio [...] desconfia que os alunos estejam sendo usados por alguém com interesses políticos. "[...] Todos sabem que a indicação da (gestão) URE foi feita pelo deputado Magno Bacelar e existem pessoas em Chapadinha que esperam oportunidades como esta para explorarem politicamente. Os estudantes podem estar conscientes de suas reivindicações, mas pode ser que estejam sendo usados por pessoas que querem tirar proveito político".
(grifo nosso)


Em suma, pelo visto, não se pode protestar em Chapadinha, por qualquer motivo que seja, sob pena de o movimento ter sua identidade posta em dúvida...

Ora, hoje em dia é compreensível que os governi$tas temam qualquer "aglomeração" que não seja de iniciativa deles próprios, mas tentar desqualificar uma simples manifestação estudantil beira o ridículo!

Em outra "notícia" (do mesmo blog, lógico), a diretoria da escola, Leonília Gomes, culpa os alunos por parte dos problemas. Segundo ela, os próprios deterioram a escola, riscando as paredes e quebrando as carteiras. Quanto à ausência de água fria, Leó (como é conhecida) põe a culpa no grande número de estudantes e no "clima quente". E o blogueiro finaliza: os alunos estariam deixando as torneiras do bebedouro abertas, desperdiçando água e fazendo com que ela esquentasse.

Essa atitude de ficar apontando os erros dos estudantes para se defender sei lá do quê, além de vergonhosa, pareceu-me totalmente antiética. Educação deve ser transmitida por meio de aulas, trabalhos escolares e outras atividades, como campanhas educativas (inclusive as que tratam da preservação do patrimônio da escola) e não acusando os educandos de "estarem errados" em blogs locais.


Aos manifestantes mirins, nossos parabéns. Longe de agirem errado, vocês provaram que a juventude chapadinhense é consciente de seus direitos e sabe como lutar por eles. Vocês, na verdade, nos orgulharam! - e digo isso em nome de todo o contingente adulto local, certo de que jamais seria refutado.


logoblog
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Oberdan Galvão disse...

Caro Jonnay,
Ao que se percebe, a Instituição não está cumprindo o objetivo a que se propõe, qual seja: EDUCAR. Na outra ponta, as autoridades educacionais não aceitam que os alunos sejam conscientizados, EDUCADOS para exigir cumprimento de direitos, mas, quiçá, ADESTRADOS.

Ivanildo Lima disse...

O mais engraçado é o comentário do filho do doutor Sebastião Pinheiro, como se ele tivesse toda a experiência de estudante do ensino público. Leiam e morram de rir.

Ivanildo Lima disse...

Observação: o comentário do filho do dr. Sebastião foi feito no blog do William Fernandes que, sei lá se é dele mesmo, pois nunca tirou o nome da mirante.