24/05/2012

"100 dias que assassinaram meu filho...", lembrou Flávio Dino, no Twitter


No dia 13 de fevereiro deste ano, Marcelo Dino Fonsêca, 13 anos, filho do presidente da Embratur, Flávio Dino, sofreu uma crise de asma no Colégio Marista, em Brasília, e teve que ser internado às pressas, no Hospital Santa Lúcia. Por volta das 06h00 do dia 14, ele apresentou uma segunda crise, mais grave, e veio a falecer.

A partir de uma ocorrência registrada por um tio, a Polícia Civil do DF abriu inquérito para apurar a morte de "Peixinho", como era conhecido por familiares e amigos. O delegado-chefe da 1ª DP, Anderson Espíndola, concluiu que houve falha no atendimento. Restou comprovado que, quando o garoto entrou em crise, a médica, Izaura Costa Rodrigues Emídio, atendia na sala de parto e demorou a prestar socorro. Houve demora, também, na entubação de Marcelo - de seis a sete minutos. Ela foi indiciada por homicídio culposo.

Nesta quarta-feira (23), 100 dias após a morte do filho, Flávio Dino exarou sua dor no Twitter. Outros usuários do microblog deixaram mensagens de pesar e saudade. "A indignação e a sede de justiça gritam mais alto que os pequenos entraves do cotidiano", desabafou Dino.



logoblog
Comentários
0 Comentários
0 comentários:
Postar um comentário

OBS: Comentários com termos chulos ou ofensas à honra alheia serão deletados.