Pela enésima vez, a Câmara Municipal de Chapadinha-MA foi palco de baixarias por parte daqueles que deveriam estar lutando pelos direitos do povo, mas só se prestam a lutar entre si. Já aconteceu de tudo em nosso "picadeiro municipal" e a grande maioria dos espetáculos foi protagonizada pelo vereador França Nilo, líder do governo na casa.

Momento em que Emerson desfere um soco em França

De uns tempos para cá, tornou-se evidente que única função de França Nilo na Câmara é fazer com que o vereador de oposição, Marcelo Meneses, perca a cabeça e deixe de denunciar a corrupção instaurada no atual (des)governo de Chapadinha. Para tanto, França nunca contesta o adversário, mas sim o acusa, bem como à sua família, de terem praticado crimes semelhantes na época em que detinham o poder na cidade. França também adora levantar questões "pessoais" em plenário, mas o espetáculo, desta vez, ficou por conta dele e de seu colega governi$ta, Emerson Aguiar, ou melhor dizendo, por conta do líder e do vice-líder desse (des)governo.

FRANÇA NILO
Não foi a primeira vez que os dois "se estranharam". Certa vez, França chegou a "tomar" o microfone de Emerson enquanto este se utilizava da tribuna. Segundo fontes extraoficiais, a briga de hoje se deu pelo fato de os dois já estarem travando uma batalha fora do ringue - perdão! - da Câmara. França Nilo estaria pretendendo vender as terras da família para a empresa Susano, o que significa que todas as famílias que nelas residem teriam que "encontrar outro lugar para viver". Tais moradores teriam procurado o vereador Emerson Aguiar para os defender na Câmara e/ou na justiça, vez que Emerson é advogado.

EMERSON AGUIAR
Na sessão de hoje (12/12), França e Emerson debatiam a questão e, como sempre, o primeiro levou o embate a outros rumos. França teria sugerido uma CPI para investigar o suposto envolvimento de Emerson com menores, ao que este insinuou que os boatos sobre sua pessoa mencionavam relacionamentos seus com mulheres "e não com homens", em uma clara alusão à vida privada de França Nilo, o qual voltou à tribuna para acusar o pai de Emerson de ter adquirido a posse de algumas terras ilegalmente, até que chamou o colega de "imbecil de uma figa!" Neste momento, Emerson fez o que Marcelo Meneses há tempos vem evitando: partiu para cima de França e, em plena sessão, lhe desferiu um soco no rosto. O tempo fechou, a turma do aparta-aparta separou os dois e a população que estava presente na galeria voltou para casa comentando a mais nova baixaria do "Picadeiro Legislativo de Chapadinha".

É triste, mas os dois governi$tas, não fizeram nada mais que representar, impecavelmente, o atual desgoverno de nossa cidade. Um executivo corrupto e um legislativo medíocre - eis a situação política de Chapadinha.

E agora, o que a presidente, Márcia Gomes, e os demais vereadores farão para, pelo menos, tentar levantar a moral da casa, que já anda mais baixa que reputação de dona de brega? Talvez colocar um telão em frente à mesa diretora, para que os presentes na galeria assistam a um "cineminha" enquanto aqueles que deveriam estar representando o povo se digladiam nos bastidores.


PS: A notícia ("linda" para a nossa cidade!) já repercutiu na imprensa da capital.



Artigos relacionados:
logoblog
Comentários
2 Comentários