Durou apenas 40 minutos a primeira reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará o destino dos R$ 73,5 milhões, frutos de convênios celebrados entre o Governo do Estado e a Prefeitura de São Luís, em 2009. Hoje, foram definidos os membros da comissão e a data da próxima reunião, marcada para a próxima terça-feira (13/12), às 15h, na qual deverá ser elaborado o calendário geral da CPI.

Bacelar mostra pedido de criação da CPI
Como presidente, foi escolhido o suplente de deputado Magno Bacelar (foto), defensor-mor da família Sarney (não, gente, não é piada: é verdade!). Rogério Cafeteira será o vice-presidente e Roberto Costa, o relator. Costa foi o deputado que encaminhou o pedido de CPI à Assembléia.

A sessão começou em clima de fortes discussões. Rogério Cafeteira disse que só participará se a Prefeitura de São Luís tiver amplo direito de defesa, enquanto Marcelo Tavares acusou a CPI de ser "de mentirinha" e de falta de paridade na escolha dos membros, indicando seu próprio nome, entretanto, apenas o próprio Marcelo Tavares votou em si.

"Vossa Excelência quer fazer uma CPI arranjada", disse Marcelo Tavares para Roberto Costa. O relator rebateu dizendo que nenhum dos parlamentares foi obrigado a assinar o pedido de CPI.

E assim teve início a CPI dos Convênios, comandada por aquele que, entre outras coisas, está sendo investigado e processado na esfera federal sob a acusação de desviar recursos do FNDE (ver artigo relacionado, abaixo).


Artigo relacionado:
logoblog
Comentários
0 Comentários