O site do Estadão, em notícia sobre a proposta de estatização da Fundação José Sarney, cita as ofensas proferidas por Magno Bacelar (suplente nomeado deputado) contra os professores presentes na Assembleia Legislativa do Estado, na sessão de ontem (18).

Os docentes ali se encontravam para acompanhar a votação do Projeto de Lei (PL) que trata dos reajustes da classe e estavam tendo seus interesses preteridos em face da urgência exigida por Roseana Sarney na apreciação do outro PL, de sua autoria, que visa estatizar a Fundação José Sarney.

Para (tentar) justificar tal urgência, Magno usou da tribuna e, como de praxe, se derramou em elogios ao presidente do Senado. Resultado: foi vaiado pelos professores! Vejam o que o Estadão publicou a respeito do incidente:

O governista Magno Bacelar (PV), conhecido por reagir com frases de efeito aos ataques da oposição, aproveitou a ocasião para render homenagens ao Presidente do Senado e fustigar professores presentes nas galerias. "Para nós, maranhenses, é um orgulho ter Sarney, que já foi presidente da República, o presidente de todos nós, dos brasileiros e das brasileiras, o presidente dos mal-educados professores que devem respeitar a tribuna, aqueles professores que não querem trabalhar", ironizou Bacelar. (grifei)

O deputado (não eleito) ainda atribuiu a reação dos professores a uma "manobra da oposição", tal qual costuma fazer sua "sei-lá-o-quê", prefeita de Chapadinha (também não eleita), quando sua ge$tão é criticada.

Essa não foi a primeira vez que Magno ofendeu professores gratuitamente. Há pouco tempo, no intento de defender o Governo do Estado, ele culpou a classe docente pelo baixo desempenho do Maranhão no Enem (ver artigos relacionados, ao fnal).

Quem ainda não caiu na real é melhor ir se acostumando, pois aquele que um dia foi conhecido como o "Nota 10", agora vive de proferir detritos fecais para garantir seu emprego. É triste...

(Para ler a notícia completa no Estadão, clique >>aqui<<.)

Artigos relacionados:
logoblog
Comentários
0 Comentários