Na tarde de ontem (24), o vereador Emerson Aguiar falou a uma rádio local e aos presentes na sessão da Câmara Municipal sobre as acusações, amplamente comentadas na sociedade local, de que teria se envolvido com duas menores.

Breve resumo do caso:

Por volta do dia 07, uma mulher teria ido à escola Raimundo Araújo e solicitado a saída antecipada de duas menores, tendo sido atendida por uma professora. Testemunhas afirmam que, no mesmo dia, viram as menores, de 16 e 17 anos, consumindo bebida alcoólica em companhia do vereador Emerson e de "Netinho", guarda municipal, em um bar no Bairro Areal. De lá o grupo teria se dirigido ao motel "Pousada Yang". Na mesma noite, a Polícia Militar e o Conselho Tutelar foram acionados para recolher as duas garotas de uma calçada no Bairro da Corrente, onde teriam sido largadas, totalmente "fora de si". Daí em diante, o povo se encarregou de espalhar "a história dos 'pedófilos', entre eles um vereador, que agiriam na cidade, junto a uma 'aliciadora' de menores".

A palavra do edil:

Contudo, Emerson Aguiar afirmou que na noite do dia 07 encontrava-se em São Luís e teria, inclusive, dado uma carona à mãe das menores até a capital. Como prova, o vereador portava uma declaração assinada por ela, confirmando sua versão. Sobre as acusações contra "Netinho", o vereador afirmou ter ouvido a versão dele e terminou por isentá-lo das supostas calúnias. Quanto à aliciadora, Emerson disse não saber nada sobre o caso, mas declarou ter ido deixar uma acessora no colégio Raimundo Araújo naquele dia. Por fim - como todo bom governi$ta - atribuiu os boatos a "pilantras da oposição" que almejam denegrir sua imagem e vê-lo fora da política. Leiam o teor da declaração em posse de Emerson Aguiar, extraída do Blog do Foguinho:

TERMO DE DECLARAÇÃO

Eu, Marinalva Marciel Bastos, brasileira solteira do lar, RG 75241197-7, residente e domiciliada na Rua Sebastião Almeida 1005, Centro Chapadinha- MA, venho através desta, DECLARAR, que no dia 07 de Outubro viajei juntamente com Dr. Emerson Aguiar, para cidade de São Luís; Declaro ainda que saímos da cidade de Chapadinha rumo a São Luís, na parte da tarde e que por assim, ser verdadeira a declaração, afirmo a inocência do mesmo com relação aos boatos que surgiram na cidade de Chapadinha, relacionado ao crime de pedofilia, na qual envolve minhas filhas.

24/10/2011

Marinalva Marciel Bastos

Considerações deste autor:

Concordo que a oposição possa estar usando o caso contra o governi$ta, assim como os governi$tas fariam contra um opositor - eis a nossa política! No entanto, "espalhar" ou "aumentar" uma história é uma coisa e "inventá-la" é outra totalmente diferente. Creio que, muito em breve, poderemos afirmar, oficialmente, como tudo começou.

Vale ressaltar também que, hoje em dia, é comum vermos adolescentes de 17, 16, 15 anos e até mais novos (as) "enchendo a cara" nos finais de semana. Daí a frequentar motéis é só um pulo. Mas tal fato de modo algum isenta os adultos que porventura contribuam com tais práticas da responsabilidade e das sanções penais, caso caiam na malha da justiça - sejam terceiros, sejam os próprios pais. No caso em tela, a situação seria ainda mais grave, uma vez que os "acusados" deveriam, pelo cargo que ocupam, ser os primeiros zelar pela moral e os bons costumes da sociedade em que vivem.

Adolescentes "enchendo a cara" (imagem ilustrativa)

Existem, agora, duas versões para o caso: a de Emerson Aguiar, corroborada pela mãe das menores, e a das testemunhas que afirmam o contrário, dentre elas alguns conselheiros tutelares (segundo informações colhidas por este blog) e as pessoas que teriam visto o grupo bebendo ou se dirigindo à tal "pousada".

O proprietário do referido bar já registrou, inclusive, um boletim de ocorrência contra o vereador na delegacia, ratificando a história que está na "boca do povo" e alegando que Emerson, em sua defesa, o estaria difamando, assim como a seu estabelecimento.

Segundo o art. 5°, LVII, da Constituição Federal: "Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado em sentença penal condenatória". Mas o edil, como advogado e filho de Chapadinha, há muito já deveria ter procurado provar a sua inocência, recorrendo ao Ministério Público, como afirmou que faria aos blogs governi$tas, ou diretamente ao judiciário. Primeiro, por que quem não deve não teme. E, segundo, para se livrar da famigerada "língua do povo" - irrelevante para a maioria dos "populares", mas um verdadeiro pesadelo para as "pessoas públicas", principalmente em uma cidade pequena como a nossa.

Em suma, daqui a algum tempo, uma das versões será consolidada como a "verdadeira" entre a população, independentemente de ser ou não. E, daí em diante, nem uma decisão judicial conseguirá mudar isso. Em outras palavras, Emerson Aguiar e os demais envolvidos no caso devem correr contra o tempo caso queiram reverter o quadro atual.


PS: Este blog recebeu informações de que um conselheiro ligado ao PT estaria tentando abafar o caso dentro do Conselho Tutelar, e já estamos investigando. Aguardem mais informações...

Artigos relacionados:
logoblog
Comentários
1 Comentários