E nos dois casos a intenção é a mesma: autopromoção!

No resto do tempo, não adianta tentar encontrá-los: estão muito ocupados usurpando o nosso dinheiro, arquitetando licitações falsas, obras e cargos fantasmas, nomeando parentes e lacaio$ para cargos que nunca assumiriam, caso fossem providos por concurso público.

Mas, de dois em dois anos, eis que reaparecem como se estivessem chegando de uma longa viagem, nos tratando como velhos amigos, com direito a abraços calorosos, perguntando do que estamos precisando no momento... "Mas V. Excelência não estava o tempo todo aí na esquina?" - poderíamos perguntar. "Nunca! Estava o tempo inteiro na capital cuidando dos interesses do povo! E, por favor, não me chame de Excelência: me chame de tu!" - responderiam.


Além dos períodos de campanha (e pré-campanha), nossos políticos também adoram aparecer quando acontecem tragédias. Ah, como adoram!... De rebeliões em presídios a grandes enchentes, qualquer infortúnio que ganhe destaque na mídia é uma ótima oportunidade de se mostrarem "preocupados" ou "solidários" com os envolvidos. Para eles, quanto maior a tragédia, melhor, vez que a projeção de seu suposto altruísmo será igualmente enorme, podendo se transmudar em votos no próximo pleito.

Zé Leitão: A corrupção encarnada!
Nossos "altruístas" podem, literalmente, lucrar com a desgraça dos outros! Tal situação, comum no norte do país, foi satirizada pelo jornalista e cineasta maranhense Cícero Filho no longa "Ai que Vida!" (2008). Na obra, o prefeito corrupto Zé Leitão vibra quando um vereador aliado - proprietário de uma funerária - lhe informa que houve uma morte na cidade: mais uma oportunidade para que o prefeito compre um caixão superfaturado e oferte à família do falecido. Bingo! Lucro e votos simultaneamente! Quem viu o filme sabe que o "falecido" era um garoto pobre que teve esse fim justamente por conta dos desmandos de Zé Leitão e seus comparsas.

"Quer dizer que políticos não tem coração?" Claro que tem! Todos cuidam com muito amor e carinho de suas famílias e apaniguados! E existe até uma pequena parcela que realmente se preocupa com terceiros. "Então como saber quando um político está se aproveitando da ocasião?" Quando os próprios, juntamente com seus aliados$, fizerem questão de divulgar sua "enorme preocupação" e ajuda dispensadas ao caso, em todas as mídias possíveis. Em suma, não precisamos ponderar nada: eles mesmos se entregam!

A todos os políticos que fazem das dores alheias trampolim pessoal, deixo aqui o ensinamento - e a advertência - de Nosso Senhor Jesus Cristo (Mt. 6,1-3):
  1. Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles; de outra sorte não tereis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus.
  2. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.
  3. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita;

Artigos relacionados:
logoblog
Comentários
1 Comentários