Ontem (16/09), um dos blogueiros mais lidos do Estado, Décio Sá, publicou uma matéria sobre a situação da Saúde de Chapadinha, cujo teor reproduzo abaixo:

"O município de Chapadinha está enfrentando uma situação caótica na área da Saúde, resultado da péssima administração da prefeita Danúbia Carneiro (PR). (grifei)

Nas duas unidades de saúde pública, Hospital das Clínicas de Chapadinha (HCC) e Hospital Regional Antonio Pontes Aguiar (Hapa), estão sem condições para atender os pacientes.

A população reclama da falta de materiais básicos, como algodão, gaze, medicamentos, entre outros. A falta de médicos nos dois hospitais é constante, desestimulados pelo atraso no pagamento por parte da prefeitura.

A população, revoltada com a situação (já que tem que comprar o material para poder ser atendido), clama por socorro pela falta de medicamentos hospitalares e atendimentos nos hospitais.

Embora esteja enquadrado no sistema de Saúde Plena, o município de Chapadinha não tem nem anestesia para procedimentos médicos. Não há anestesia para realizar parto (cesariana). Os anestésicos são emprestados pelo vizinho município de Anapurus."

Qualquer cidadão, chapadinhense ou não, que já necessitou dos serviços de nossa Saúde, não viram nada de extraordinário no texto acima, fora o fato de ter sido publicado em um veículo de grande audiência. Tais fatos já foram, inclusive, levados ao conhecimento do Ministério Público local, o qual, até o momento, nada fez a respeito. Não comentei o artigo de Décio porque, além de não ter vislumbrado nenhuma novidade, soube que a e$quenta-cadeira iria se manifestar oficialmente a respeito. E não é que ela o fez? Décio Sá (foto ao lado) já publicou tal resposta da prefeitura em sua página, a qual reproduzo abaixo, comentando item por item:

Nota da Prefeitura de Chapadinha

"1 – A situação da saúde de Chapadinha não difere da realidadedo sistema público nacional, por isso, apesar e eventuais problemas e dificuldades, não existe quadro caótico em nosso município. Contrário disso, temos tido índices até melhores que outros locais."

N. do A. Realmente a saúde no Brasil não é lá essas coisas, mas o que justificaria os hospitais locais não disporem sequer de atadura para imobilizar um membro? A prefeita poderia ter citado, pelo menos, um desses supostos locais nos quais os "índices de saúde" são piores que em Chapadinha. (Antes que ela tente, já digo que o inferno não vale!)

"2 – As duas unidades de saúde citadas na matéria estão abertas, funcionando e atendendo não só a população de Chapadinha, mas de outras 18 cidades circunvizinhas, abrangendo uma população de 436 mil habitantes."

N. do A. Em momento algum Décio Sá disse que os referidos hospitais estavam fechados. A prefeita, no entanto, poderia ter dito a verdade: que há muito tempo nossos hospitais não estão "atendendo", mas sim "encaminhando" pacientes, seja para os municípios vizinhos, seja para a capital. Aliás, os moradores das cidades vizinhas já estão carecas de saber que procurar atendimento em Chapadinha é dar viagem perdida.

"3 – Sem deixar de reconhecer ocorrências de excepcionais e momentâneos desabastecimentos, os estoques de medicamentos e materiais básicos se encontram em níveis satisfatórios nos hospitais e não existe atraso de pagamento de salários de pessoal no município de Chapadinha desde dezembro do ano 2000."

N. do A. "Excepcionais e momentâneos desabastecimentos?" Onde é que nossa ge$tora reside, afinal??? Todos os pacientes que necessitam dos hospitais locais tem que tirar do próprio bolso para comprar os materiais necessários a seu atendimento - e tal fato já é de conhecimento público nesta e nas cidades vizinhas! Será que, por conta da matéria publicada por Décio, a prefeita promoveu algum tipo de abastecimento de emergência? Será que consertaram o aparelho de Raios X? Será que finalmente temos gaze e esparadrapo em nossos hospitais? E soro? Estas sim, seriam situações excepcionais em nossa cidade... E quanto a pagamentos, também é de conhecimento público que os salários dos funcionários do HCC estavam atrasados, sem falar que, a poucos dias atrás, a prefeita atrasou o pagamento de todo o funcionalismo apenas por capricho! Como é que ela ainda tem coragem de dizer que tudo está em dia desde 2000?

"4 – Temos tanta consciência de que a saúde de Chapadinha e região carece de melhorias que temos reiteradamente pleiteado junto ao Governo do Estado a inclusão de nosso pólo regional, no plano de melhorias em curso na saúde maranhense, já tendo inclusive resposta positiva em pronunciamento público da senhora governadora Roseana Sarney quanto à construção de hospital de média/altacomplexidade de 150 leitos em nossa cidade."

N. do A. Nossa cidade, há muito tempo, já recebe recursos para realizar atendimentos de média e alta complexidade, conforme informaram os próprios funcionários do setor. Até julho deste ano, a Saúde de Chapadinha já havia recebido mais de R$ 10 milhões e 172 mil (cliquem aqui e vejam a informação oficial no Portal da Transparência) e nossos pacientes continuam tendo que tirar do próprio bolso para serem atendidos. E quanto às inúmeras outras denúncias relacionadas à digníssima secretária do setor? Porque a prefeitura ainda não divulgou "notas oficiais" acerca delas? Não adianta: nem que nossa cidade recebesse todos os 72 hospitais prometidos pela governadora, ainda assim os problemas continuariam, pois enquanto não tivermos um (a) gestor (a) que tenha vergonha na cara e aplique os recursos "da" Saúde "na" Saúde, esta continuará conforme frisou Décio Sá: CAÓTICA!

Atualização em 19/09: Hoje constatei que o aparelho de Raios X do Hospital Antonio Pontes de Aguiar já está funcionando normalmente, após ter passado meses quebrado. Pelo visto, parece que nossas denúncias estão tendo resultados...

PS: Os artigos abaixo referem-se a alguns pontos abordados na nota divulgada pela prefeitura: leitura obrigatória para quem (ainda) tem dúvidas acerca do assunto!

Artigos relacionados:
logoblog
Comentários
5 Comentários