Imagem de um potó, inseto
Enquanto digito isso criaturinhas nefastas me observam do teto e da parede, quietinhas, esperando eu pegar no sono... É terminar aqui e correr para o supermercado, comprar mais um tubo de inseticida.

O fim do período chuvoso em nossa região significa o início de uma virgília de, no mínimo, um mês e qualquer irritação na pele levanta a suspeita: "Ai, meu Deus, será que foi potó?"

O nome científico do indivíduo é paederus irritans, um inseto da Ordem Coleoptera, família Staphylinidae, que inclui besouros e escaravelhos. Porém, este indivíduo se difere muito dos membros da família, por seu corpo lembrar mais uma formiga que um besouro.

Além de se locomover de modo ameaçador - rápido como uma saúva, com a ponta da "cauda" levantada, feito um escorpião - o bicho ainda voa! Mas o que faz do potó o Bin Laden dos insetos é a sua famosa "mijada".

Imagem de um potó, inseto, sobre a pele
Bem conhecido no Norte e Nordeste, o meliante mede cerca de 0,5cm (em média) e costuma aprontar enquanto suas vítimas dormem. É nessa hora que ele resolve passear por cima delas à procura de um lugar quentinho ou atraídos pela cor branca do lençol. Sim, senhores, o branco atrai o potó. Segundo especialistas, o ideal é utilizar lâmpadas de luz amarela para afugentá-los, como as incandescentes, além de roupas de cor escura. Outra dica é deixar uma fluorescente acesa em algum cômodo distante do dormitório, para "distraí-los". E o velho (porém insubstituível) mosquiteiro não deve ser esquecido, principalmente para proteger o sono das crianças.

Queimadura nas costas causada por potó, inseto
A "mijada" do potó é seu mecanismo de defesa. Quando se sente ameaçado, ao ficar preso entre o pescoço da vítima e o travesseiro, por exemplo, o bicho elimina uma toxina denominada pederina, de propriedades cáusticas, que provoca a necrose cutânea da área atingida. Data de 1912 o primeiro registro sobre suas consequências, feito por Piraja da Silva: "O contacto com esses insetos produz eritema seguido de forte prurido; e depois a pele fica ulcerada" (Ensino de Ciências, nº. 17, Março/87).

Caso esteja acordada, a vítima deve lavar imediatamente a área atingida com água abundante e sabão neutro. O mesmo deve ser feito ao se perceber alguma lesão pela manhã, para tentar diminuir os efeitos da toxina. Deve-se também ter o cuidado de não levá-la para outras áreas com os dedos que tocaram o inseto, principalmente aos olhos. As lesões podem ser tratadas com banhos antissépticos, com permanganato e/ou antimicrobianos. Sob orientação médica, antibióticos podem ajudar no controle de eventuais infecções, causadas por micro-organismos que chegam ao local ferido.

Queimadura no pescoço causada por potó, inseto
Se um potó pousar sobre sua pele, não o esmague ou sequer pressione. O correto é fazer com que ele caia fora por conta própria e lavar a área com água e sabão neutro.

Os potós são polífagos, ou seja, comem de tudo, de matéria orgânica em decomposição a outros insetos menores. Casos de canibalismo entre a espécie já foram observados... e se eles não perdoam nem a própria, imagine a nossa!


Fontes: O Globo, Wikipedia e experiência própria
logoblog
Comentários
6 Comentários