O único vereador de oposição de Chapadinha, Marcelo Meneses, conseguiu uma verdadeira proeza na sessão de ontem (15/08) da Câmara Municipal.

Por diversas vezes ele havia se utilizado da tribuna para denunciar os desmandos da atual administração, principalmente na área da Saúde, mas, em todas elas, seus colegas pareciam estar passando por um estado temporário de surdez. Ontem, no entanto, os nobres edis não mais se fizeram de "desentendidos" e acataram o requerimento do vereador para que a $ecretária de Saúde preste os devidos esclarecimentos à casa e, principalmente, à população. Tal "anuência", na verdade, se deu pelas seguintes razões: a insistência de Marcelo em continuar com as denúncias, mesmo diante do descaso dos colegas; a esperança dos ex-surdos de saírem da linha de fogo, uma vez que, como fiscais do executivo, estão sendo apontados como corresponsáveis por seus desmandos; a proximidade do ano eleitoral e a incomensurável rejeição do povo a essa ge$tão, que faz com que qualquer tentativa de defendê-la equivalha a menos votos no próximo ano.

Img: Chapadinha Site
Vale ressaltar que a responsável pela Saúde, Dra. Maria José Pereira Coutinho (foto), é a mesma que, em determinado mês do ano passado, recebeu a bagatela de R$ 20.379,56 por plantões médicos, além dos R$ 5.187,78 que ganha regularmente como Secretária de Saúde - mais que o dobro dos R$ 2.200,00 aprovados pela Câmara Municipal (o valor excedente corresponde a uma "gratificação por desempenho") - isto conforme denúncia apresentada em 11/11/10 pelo (agora governi$ta) Blog Interligado / Interligado News / Interligado De Novo (Clique em alguma imagem abaixo para acessá-la). Em suma, Dra. Coutinho, pelo menos à época, era "chefe" e "funcionária" de si mesma! Apesar de não existir nenhuma lei que a proíba a "brincadeira", nós, cidadãos - os verdadeiros "chefes" municipais - jamais seremos coniventes com este tipo de conduta indecorosa.

Img: Blog Interligado

Img: Blog Interligado

Apesar de ter parecido uma vitória, a batalha sequer começou. Caso ocorra, tal oitiva com certeza será marcada por uma recente prática nacional: a política cênica profissional. O último termo se deve aos exaustivos ensaios, monitorados por profissionais conceituados "na área", nos quais os aprendizes treinam, por exemplo, como responder a uma pergunta sem necessariamente respondê-la - recurso incorporado por Dilma Rousseff (discípula de Lula) às suas eventuais entrevistas - ou como passar uma "mensagem positiva" em meio à turbulência - como fez Danúbia Carneiro (discípula de Magno) ao apresentar uma banda no "pão e circo" de julho, ocasião em que aconselhou os jovens e "turistas de fora" a não usarem drogas "após o show".

Se você estiver pensando em terminar um relacionamento sem magoar (muito) a outra parte ou necessita de novas táticas para faltar ao serviço ou matar aulas, tais esclarecimentos serão uma ótima referência. Até lá, uma pergunta continuará permeando as rodas de conversas pela cidade: De que forma a representante do executivo tentará justificar o injustificável???


Artigos relacionados:
logoblog
Comentários
0 Comentários