Infelizmente, em razão do parco tempo que posso dedicar a este blog (já que, diferentemente da maioria dos blogueiros governi$tas, eu trabalho para me sustentar - eis a razão de nossa independência), alguns artigos são postados com certo atraso. Ainda bem que alguns textos não perdem sua atualidade, como este, a seguir, escrito pela Prof. Jane Andrade (foto ao lado):

"O Sistema"

Já que o artigo "Nossa Democracia: Mais Acidental Que Ocidental" (link ao final deste artigo) criou pôlemica, talvez pela linguagem técnica, resolvi adotar uma linguagem um pouco menos formal. Sabe por que, parceiro? Porque quando se fala a verdade, o bicho pega!

Lembram do samba de Paulinho da Viola? Chico Brito, um malandro do morro, vive no crime e é preso a toda hora. Paulinho, porém, não atribui sua condição a uma falha de caráter. Chico era, em princípio, tão bom quanto qualquer outra pessoa, mas o "sistema" não lhe deixara outra oportunidade de sobrevivência que não a marginalidade. O último verso diz tudo: "A culpa é da sociedade que o transformou".

O que acontece se não há emprego para que você possa sustentar sua família? E se seu filho completa 18 anos, que perspectiva ele tem em Chapadinha? Só o Bolsa Família resolve?

Os hospitais estão abandonados e consequentemente os pacientes também estão. Chegam, a receber o atestado de óbito enquanto ainda lutam pela vida, como foi o caso do menino Renam. Nossas ruas estão esburacadas, não há emprego para nossos jovens... Mas para o "sistema" está tudo bem. Tão bem que vão gastar 450 mil reais em 2 dias de festa. Festa é bom e todo mundo gosta mas, antes do dinheiro devido por nosso trabalho, precisamos de saúde para brincar. Mas como ter tais direitos assegurados por lei cumpridos, se os políticos só lembram, só dão importância ao povo em ano eleitoral?

Repetitivo? Sim e vou continuar repetindo até que os nossos políticos assumam sua responsabilidade e realmente cumpram suas promessas de lutar por uma sociedade mais justa e menos desigual. É absurdo o que acontece em nossa cidade.

Taí o Vereador França Nilo que já havia dito que não precisava dos votos dos professores para se eleger. Resultado? Nos chamou de PALHAÇOS. No próximo ano, quando voltar a subir nos palanques, será que ele utilizará o mesmo termo para se referir à nossa categoria?

O "sistema" só tem medo de uma coisa: a mídia. A Câmara não se menifesta ao ver a situação dos hospitais de Chapadinha e alguns blogueiros até providenciam desculpas para justificar a situação precária da saúde. Srs. Pais, vocês que tem que mandar seus filhos para longe de Chapadinha para que consigam um emprego decente; futuras mães, vocês que agora tem que ir para outra cidade se necessitarem fazer uma cesariana; vocês que vão aos hospitais e não conseguem atendimento para seus filhos; proprietários de veículos de Chapadinha que já tiveram algum prejuízo por conta de nossas estradas mal "reformadas"... É para os senhores que eu pergunto:

2 dias de festa é a solução para quê mesmo?

Já ouviram a música do Zezo? "... Mamãe eu quero ser Prefeito... E se a coisa vai mal eu contrato uma banda da Bahia e faço aquele carnaval. Aí o povo esquece tudo...". Vocês vão esquecer? Eu não vou. O que tenho a ver com isso? O mesmo que vocês: TUDO! Somos nós quem colocamos cada um deles no poder e no dia que o povo tomar consciência que, da mesma forma que os colocamos lá, também podemos tirá-los, e eles perceberem que o povo tem essa consciência, aí sim: haverá saúde e educação de qualidade para nossos filhos.

Sem fazer apologia ao filme Tropa de Elite II, até porque nosso "sistema" não precisa de armas, pois precisam apenas fingir-se de cegos, finalizo com uma frase do personagem Capitão Nascimento: "A sociedade me preparou pra isso e missão dada é missão cumprida."

(Professora Janislene Andrade, por email enviado a este blog em 19/07/11)

N. do A. Só relembrando que o Chapadinha Online está aberto não só à Prof. Jane, mas também a todos os leitores que desejem divulgar alguma informação relevante para a nossa região. Até breve...

Artigos relacionados:
logoblog
Comentários
3 Comentários