A professora Janislene Andrade (foto), ou "Jane", como é conhecida, vem se destacando no município em razão de sua luta contra os desmandos do poder executivo - e a omissão do legislativo - para com sua categoria.

Enquanto a maioria dos professores assistem calados a tudo o que está ocorrendo na cidade, a Prof. Jane tem procurado se fazer ouvir e, pelo visto, obteve êxito, tanto que o executivo e suas bancadas na Câmara Municipal e na imprensa local voltaram todas as suas atenções à professora. E olha que ela se esforçou bastante nesse sentido, talvez até mais que alguns membros da própria diretoria do SINDCHAP (Sind. dos Servidores Públicos Municipais de Chapadinha). Pena que nossos políticos enxerguem apenas o que desejam nas reivindicações da população, ou a parte que lhes cabe. Todo o resto, a parte que cabe ao povo, por exemplo, parece não existir para eles.

Recentemente, Jane nos enviou dois emails: um logo após a entrevista concedida pela prefeita (não eleita) à Rádio Cultura FM e outro após o vereador Emerson Aguiar ter divulgado que pretendia processá-la por conta do texto "Nossa Democracia: Mais Acidental que Ocidental", de sua autoria, divulgado em alguns blogs locais, inclusive neste (link ao final deste artigo). Transcrevo, abaixo, os emails enviados a este blog pela professora:

Respostas a alguns argumentos de Danúbia:

"Em sua entrevista, Danúbia disse em alto e bom tom que só recebia a direção anterior do SINDCHAP por que eles acampavam na porta de sua casa.

Eu lembro muito bem, e creio que muita gente também, de Danúbia em pleno meio-dia, em cima de um trio elétrico, vermelhinha do sol, pedindo humildemente uma chance ao povo chapadinhense, pedindo que o povo desse a ela a oportunidade de realizar seu sonho de ser prefeita, pedindo um voto de confiança. E uma parte da população atendeu a seu pedido.

E hoje, meus amigos, como a coisa mudou: para que uma mãe de família, um trabalhador, o povo consiga falar com a prefeita, tem que acampar em frente à sua casa!

Sobre o Fundeb, Danúbia disse que não esperamos. Nós esperamos sim! O repasse do Fundeb está na conta desde o dia 29 de abril e nós só começamos as manifestações em junho. E além do mais, o papel do sindicato não é esperar. O papel do SINDCHAP é lutar e defender os interesses de todas as categorias de servidores, seja por intermédio do Ministério Público, seja por meio de mobilizações populares. E nós vamos lutar, podem ter certeza.

Ela também alegou os salários em dia. Se no final do ano uma mãe vem me agradecer por seu filho conhecer o alfabeto, digo a ela que, como professora, não fiz mais que minha obrigação. Sou paga para isso. Mesmo que o salário não seja lá essas coisas ainda é minha obrigação.

E ela, enquanto prefeita, também não faz mais que sua obrigação. E não adianta mencionar quem não cumpre com a sua. Devemos seguir os bons exemplos e não olhar para os maus."

(Jane Andrade, por email, em 11/07/11)

Resposta ao vereador Emerson Aguiar:

"Só tenho a lamentar pela postura do nobre vereador.

Ouvimos o vereador França Nilo ofender a toda uma categoria nos chamando de palhaços. E qual foi mesmo o posicionamento da Câmara? A presidente, por exemplo, foi uma das que prometeu nos ajudar em nossa luta mas, até agora, nada foi feito.

E por que, diante dos fatos, só agora o nobre vereador Emerson Aguiar resolveu se manifestar? E ainda preferiu escolher o caminho mais fácil: o de atacar o lado supostamente mais fraco.

O vereador está mal informado: em nenhum momento falei que os vereadores tinham 3 professores à sua disposição e sim que cada vereador tem 3 "PESSOAS" à sua disposição. E isso é um fato conhecido pela população chapadinhense. Ele se precipitou em suas declarações e nenhuma atitude precipitada é inteligente.

Eu não tenho medo da justiça nobre vereador. Tenho provas do que falei e nada do que Vossa Senhoria declarou me intimida, muito pelo contrário: continuarei lutando para que as injustiças que ocorreram no passado contra os professores não voltem a se repetir nem hoje e nem amanhã. Posso até não ter forças para mudar muita coisa que está errada, mas sofrer essas mazelas em silêncio? Não. Isso eu não faço mais.

Vocês ainda ouvirão muito meu nome e, quando ouvirem, podem ter certeza de que falo com provas e propriedade sobre o assunto."
(Jane Andrade, por email, em 14/07/11)

Este blog não poderia deixar de acrescentar que a Exma. Presidente da Câmara Municipal, Márcia Gomes (a mesma que prometeu ajudar os professores e nada fez), recentemente divulgou uma "Nota de Repúdio" ao referido texto de Jane. Na nota, a presidente - democraticamente - se refere à professora como "vesga" (que pode significar "estrábica" ou "insincera"), "leviana", "mau caráter" e "falsa educadora".

Mas isto é um assunto para outro artigo. Antes, este blog fará questão de apurar quais dos nossos nobres representantes na Câmara também compartilham do mesmo pensamento de sua presidente. Até lá, digo apenas que tive o cuidado de salvar e imprimir a referida nota, pois acredito que, muito em breve, ela será de grande relevância para o nosso povo.


Artigos relacionados:
logoblog
Comentários
2 Comentários