Nós, brasileiros, já notamos há alguns meses: quando vamos a um supermercado ou feira com "cinquentinha", voltamos com a sensação de que deveríamos estar trazendo mais ítens para casa, dado o valor da "notinha" que deixamos no caixa.

O governo federal foi omisso no controle da inflação, no ano passado. Enquanto o ex-presidente atentava apenas para as pesquisas eleitorais, o preço dos ítens da cesta básica iam aumentando um pouquinho aqui, um pouquinho acolá... Hoje o novo-mesmo governo se justifica explicando que esses aumentos são motivados por fatores "externos e transitórios"!

Seriam "fatores externos" a tal marolinha que, segundo o ex-presidente, não ia nem fazer cócegas na economia?

Transitórios, até podem ser (e torçamos para que sejam!), pois a economia brasileira, apesar desses aumentos, continua estável. O ruim é que essa alta de preços afeta, principalmente, a população mais pobre, que não tem recursos para, por exemplo, se deslocar de uma cidade para outra vizinha, a procura de menores preços, como estão fazendo alguns conhecidos meus, na hora de fazer as compras mensais.

Pois é! É justamente essa parte da população, a quem o governo prometeu ajudar, a que mais está sofrendo com a irresponsabilidade do...    governo!

Eu não criei o blog para atacar esse ou qualquer outro governo. Mas meu compromisso com A VERDADE me obriga a questionar alguns enigmas do universo, tais como:

Por que o governo reajustou o bolsa família em, aproximadamente, 19,4% e o salário mínimo em apenas 6,8%, se os alimentos e bebidas estão, em média, 22,1% mais caros??? Só a carne aumentou, em média, 40%. O feijão, 60%.

Mas ELES, tenham certeza, não estão sofrendo nada com essa situação. O vencimento dos parlamentares foi reajustado em 61,83%. O da Presidente da república, em 133,96%. O do vice-presidente e dos ministros, em 148,63%.

Ainda lembram dos "nossos" aumentos, citados antes? 19,4% no bolsa-família e 6,8% no salário mínimo! Acorda, gente...!

Fontes: FGV, IBGE, Veja, Estadão.
logoblog
Comentários
0 Comentários